Benefícios e limitações da densitometria óssea

densitometriaossea

Benefícios: 

A densitometria óssea é um exame simples, rápido e não invasivo.

Não há necessidade de sedação ou uso de meios de contraste.

O exame de densitometria óssea é o método mais preciso disponível para o diagnóstico de osteoporose e também é considerado uma estimativa precisa do risco de fratura.

A quantidade de radiação utilizada é extremamente pequena, inferior a um décimo da dose padrão de raios-x convencional, e menos do que a exposição de um dia para radiação natural.

O paciente recebe uma dose < 5mRem no exame de coluna lombar ou fêmur. Para compreendermos a magnitude destes valores, basta compararmos com uma tomografia (100 a 1000 mRem) ou com um exame radiográfico de tórax (20 a 50 mRem).

 

Nenhuma radiação permanece no corpo de um paciente após o exame.

 

Limitações:

 

O exame de densitometria não pode prever quem vai sofrer uma fratura, mas pode fornecer indícios de risco relativo.

 

Apesar de sua eficácia como um método de medir a densidade óssea, DXA é de uso limitado em pessoas com deformidade da coluna vertebral ou aqueles que tiveram a cirurgia da coluna anterior.

A presença de fraturas por compressão vertebral ou osteoartrite pode interferir com a precisão do teste, em tais casos, outros métodos diagnósticos podem ser mais úteis.

O  EXAME NÃO DEVE SER FEITO EM GESTANTES!  As mulheres devem sempre informar o seu médico ou técnico de raio-x, se houver qualquer possibilidade de que estão grávidas.

A dose de radiação efetiva para este procedimento varia.

 

Deixe uma resposta

Translate »