O aumento da atividade física está associada com o desenvolvimento de maior pico de massa óssea em homens

atividade fisica e ostoeporose

Acredita-se que o pico de massa óssea seja um fator importante relacionado ao risco de osteoporose em fases mais tardias da vida. Aumentar a massa óssea através de uma maior atividade física deve ser importante para prevenir ou retardar a osteoporose. No entanto, pouca informação está disponível para associar atividade física e pico de massa óssea. Os autores do estudo pulicado Journal of Bone and Mineral Research com o objetivo de determinar se uma maior quantidade de atividade física ao longo de um período de 5 anos foi associado com maior conteúdo mineral do osso, densidade mineral óssea volumétrica e tamanho do osso cortical em homens adultos jovens. O estudo foi baseado em dados coletados de 833 homens com idade média de 24,1 anos, durante a 5 anos de seguimento.

Estudos com dupla absorciometria de raios-X (DEXA) permitiu aos autores mostrarem que o aumento da atividade física durante cinco anos foi significativamente associada com o aumento de teor mineral óssea de corpo e aumento da densidade mineral óssea da coluna lombar e do quadril. Tomografia computadorizada quantitativa periférica na tíbia foi utilizado para associar o aumento da atividade física e aumento da área seccional transversal cortical e um aumento significativo da densidade mineral óssea trabecular.

 

Este estudo destaca o efeito da atividade física no pico de massa óssea na idade adulta jovem, indicando que a atividade física nessa idade pode influenciar o risco de desenvolver osteoporose mais tarde na vida.

Artigo publicado no Journal of Bone and Mineral Research 2012;27:1206-1214.

Deixe uma resposta

Translate »