Tabagismo e baixa massa óssea em homens adultos jovens

tabagismo e osteoporose

Fumar sempre foi associado a  menor massa óssea e risco aumentado de fratura. No entanto, nenhum estudo longitudinal investigando o ato de fumar durante o pico de aquisição de massa óssea havia sido publicado.  O objetivo do trabalho de  Rudäng R et al.  Pulicado no Journal of Bone Mineral   Research foi o de avaliar o desenvolvimento da densidade óssea e distribuição de acordo com o comportamento de fumar em uma população de 833 homens idade de 18 a 20 anos, em um estudo longitudinal de 5 anos.
Usando aquisiçãos com  DEXA os autores mostraram que os homens que tinham começado a fumar desde início do estudo apresentaram um pequeno aumento na densidade mineral óssea aeral (ABMD) no total do corpo e no nível da coluna lombar em comparação com não fumantes.

Além disso, eles apresentaram uma maior diminuição de ABMD no quadril total em comparação com homens não-fumantes. Usando tomografia computadorizada quantitativa periférica (pQCT) os autores mostram que os homens que começaram a fumar tiveram um aumento menor da região da tíbia transversal cortical e maior diminuição da densidade mineral óssea trabecular volumétrica (vBMD) do que os não fumantes. Finalmente os dados mostraram que os fumantes tinham densidade trabecular significativamente menor vBMD na tíbia em comparação com os não fumantes, principalmente devido à redução da espessura trabecular.
Estes achados sugerem que o cigarro tem um impacto negativo nos parâmetros essenciais para a resistência óssea, em especial sobre a espessura trabecular.

1.Rudäng R et al. J Bone Miner Res. 2012; 27:2189-2197.

 

Deixe uma resposta

Translate »