Tempo de intervalo de exame da densidade óssea em idosas.

dexa2

Artigo publicado na New England Journal of Medicine, cuja referência está no fim da postagem, discute o tempo de intervalo de exame e a transição para osteoporose em mulheres mais velhas.

O objetivo deste estudo foi determinar o tempo requerido entre dois estudos de densidade mineral óssea (DMO) para identificar osteoporose em mulheres com 65 anos ou mais. Os autores estudaram por 15 anos 4957 mulheres pós-menopáusicas com vários índices de T-score. O seguimento dessas mulheres incluía exames de estudo no ano 2, 6, 8, 10 e 16.

O intervalo de estudo de DMO foi definido como o tempo estimado para que 10% das mulheres fizessem a transição para a osteoporose antes de ter um quadril ou fratura vertebral clínica, com ajuste para o uso de estrogênio e fatores de risco clínicos. Foram configurados grupos com base no T-score inicia de DMO normal, osteopenia leve, osteopenia moderada, e osteopenia avançadas.

Os dados indicam que a osteoporose se desenvolveria em menos de 10% de mulheres pós-menopáusicas mais velhos durante intervalos de rastreio que são definidas em cerca de 15 anos para as mulheres com DMO normal ou osteopenia leve na avaliação inicial, 5 anos para as mulheres com osteopenia moderada, e 1 ano para mulheres com osteopenia avançada.

Assim, o teste de densidade mineral óssea deve ser realizado mais frequente em pacientes com maior osteopenia.

Gourlay ML et ai. Engl J Med. 2012; 366:225-233.

One Response to Tempo de intervalo de exame da densidade óssea em idosas.

  1. Now I know who the brainy one is, I’ll keep loiokng for your posts….

Deixe uma resposta

Translate »